Como Billy Graham se tornou o “pastor dos presidentes”

  • 07/02/2024
Como Billy Graham se tornou o “pastor dos presidentes”
Como Billy Graham se tornou o “pastor dos presidentes” (Foto: Reprodução)

O falecido evangelista Billy Graham, considerado um dos maiores pregadores das últimas décadas, também ficou conhecido como o “pastor dos presidentes”.

Desde a Segunda Guerra Mundial, todos os presidentes dos Estados Unidos se encontraram com o evangelista, segundo o Billy Graham Evangelistic Association (BGEA). 

Para Graham, os líderes de sua nação eram pessoas como as outras, que necessitavam do amor de Deus e do Evangelho.

Por diversas vezes, ele afirmou: “Quer a história de Cristo seja contada num enorme estádio, na mesa de um líder poderoso, ou partilhada com um companheiro de golfe, ela satisfaz uma fome comum. Em todo o mundo, sempre que encontro pessoas cara a cara, fico ciente desta necessidade pessoal entre os famosos e bem-sucedidos, bem como entre os solitários e obscuros”.

Billy foi chamado à Casa Branca para ministrar e aconselhar os presidentes centenas de vezes, e acabou se tornando um capelão muitos deles.

Johnson e Nixon foram os que mais o procuraram, e chegaram a oferecer altos cargos no governo à Graham, que recusou imediatamente, com educação.

O primeiro presidente que o evangelista se encontrou foi Harry S. Truman, em 1950. “Um congressista ligou para Billy e perguntou: ‘Você gostaria de conhecer o presidente?’ Sem qualquer informação sobre o protocolo, ele concordou e foi com três colegas e falou com o Presidente Truman”, contou o BGEA.

Harry disse a Billy Graham que vivia de acordo com o Sermão da Montanha, e, ao final, os dois oraram juntos.

(Foto: Reprodução)
O primeiro presidente que se encontrou com Graham foi Harry Truman, que serviu de 1945 a 1953. (Foto: BGEA).

Chamado para aconselhar

Durante o governo de Dwight D. Eisenhower, o evangelista foi chamado para aconselhar o presidente.

“Eisenhower foi o primeiro presidente que realmente pediu meu conselho em profundidade quando estava enviando tropas para Little Rock”, lembrou Graham.

Eisenhower chegou a declarar: “Billy Graham é um dos melhores embaixadores que nosso país tem, mas ele me disse: 'Eu sou um embaixador do céu’”.

Pouco antes de Dwight faleceu, Graham foi convidado para visitá-lo no hospital. Lá, o pregador falou novamente sobre a mensagem de salvação em Cristo e os dois oraram. Depois disso, o presidente disse que estava pronto para morrer.

(Foto: Reprodução)
Billy Graham sentado com o presidente Dwight D. Eisenhower. (Foto: BGEA).

O presidente seguinte, John Kennedy, pediu para conhecer Billy quatro dias antes de sua posse, e o convidou para passar um dia em Palm Beach.

“Dirigimos no Lincoln conversível branco de JFK. Durante nossas conversas, percebi que ele estava preocupado com a condição moral e espiritual da nação”, relatou Graham.

O próximo presidente, Lyndon B. Johnson, foi um dos mais próximos do evangelista. Durante sua administração, Graham foi a Casa Branca por mais de 20 vezes e foi convidado várias vezes para ir ao rancho da família Johnson.

Em uma carta para o pastor, Lyndon agradeceu por sua amizade: “Minha mente voltou para aquelas ocasiões solitárias na Casa Branca, quando sua amizade ajudou a sustentar um presidente em uma hora de provação”.

Lendo a Bíblia com Nixon

(Foto: Reprodução)
Billy Graham e Richard Nixon. (Foto: BGEA).

Antes mesmo de Richard M. Nixon assumir a presidência dos EUA, ele e Graham já eram amigos pessoais desde 1950. 

Como sua fé de origem quaker, Nixon pedia ao pastor que orasse e lesse a Bíblia com ele em todas as vezes que o visitava.

“Nixon era uma pessoa reservada e complexa, mas, abaixo da superfície, Billy o considerava caloroso e compassivo, bem diferente das caricaturas populares”, comentou a BGEA.

No último ano da presidência de Nixon, Graham não conseguiu visitá-lo. Mais tarde, uma pessoa na Casa Branca contou que o presidente havia ordenado: “Não deixe Billy Graham chegar perto de mim, não quero que ele seja manchado com Watergate”.

Boa reputação entre os presidentes

O presidente Gerald R. Ford também nutriu uma amizade com o pregador das multidões. Certa vez, ele defendeu Graham das falsas acusações de se envolver na política.

“Ouvi comentários de algumas fontes de que Billy mistura política com religião. Nunca senti isso e não creio que milhares e milhares de pessoas que o ouvem tenham sentido isso. Billy apareceu no Salão Oval em diversas ocasiões enquanto eu era presidente. Eram encontros de velhos amigos. Eles não tinham significado político ou outro”, declarou.

Jimmy Carter, que sucedeu Ford, falou o mesmo sobre o caráter de Graham. “Billy e Ruth Graham vieram nos visitar na mansão do governador na Geórgia e na Casa Branca. Sua reputação está acima de qualquer censura ou suspeita”.

Amizade com Reagan

(Foto: Reprodução)
Billy Graham com o presidente Ronald Reagan e sua esposa Nancy. (Foto: BGEA).

Segundo a BGEA, Billy Graham foi amigo íntimo de Ronald W. Reagan. Em 30 de março de 1981, após a tentativa de assassinato do presidente, Billy voou imediatamente para Washington para consolar e orar com a famaília.

“Foi através de Billy Graham que me vi orando ainda mais do que diariamente e na posição que ocupei, minhas orações cada vez mais foram para me dar a sabedoria para tomar decisões que serviriam a Deus e seriam agradáveis ​​a Ele”, testemunhou Reagan.

Em relação a George HW Bush, Graham afirmou que foi o presidente mais aberto para conversar sobre questões espirituais.

“Ele diz claramente que recebeu Cristo como seu Salvador e que é um crente nascido de novo”, disse o pregador, na época.

Ensinando sobre oração

Bush declarou que Billy o ensinou sobre a importância de ter uma vida de oração. “Billy Graham tem sido uma inspiração em minha vida. É minha firme convicção que ninguém pode ser presidente sem compreender o poder da oração, sem fé. E Billy Graham me ajudou a entender isso”, comentou ele.

O evangelista também visitou o presidente Bill Clinton no Salão Oval da Casa Branca. Bill disse que viu Graham pela primeira vez aos 12 anos durante uma cruzada evangelística no Arkansas, e ficou impressionado com a atitude do pastor em não concordar em segregar racialmente o público.

“Billy e Ruth Graham praticaram o ministério de serem amigos de presidentes de ambos os partidos sempre completamente privados, sempre completamente genuínos”, elogiou Clinton.

Conversão de Bush

(Foto: Reprodução)
Barack Obama se encontrou com Billy Graham em sua casa em Montreat. (Foto: BGEA).

Em sua autobiografia, George W. Bush revelou que se rendeu a Jesus após uma conversa privada com Billy ao longo da costa do Maine em 1985.

Ele afirmou que as palavras do pregador plantaram o grão de mostarda em sua alma e o levaram a comprometer seu coração a Cristo.

Já Barack Obama foi o primeiro presidente a visitar Graham em sua própria casa em Montreat, durante as férias presidenciais em abril de 2010. Os dois conversaram e oraram juntos.

No governo de Donald Trump, Graham o conheceu durante a celebração de seu aniversário de 95 anos, em 7 de novembro de 2013. Trump e sua esposa Melania participaram do evento e assistiram a uma exibição do curta-metragem evangelístico “The Cross”.

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/como-billy-graham-se-tornou-o-pastor-dos-presidentes.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Top 5

top1
1. Vida Vazia

Josias Morais

top2
2. Tadinho de mim

Canção e Louvor

top3
3. João Paulo & Joel

Tua vitória

top4
4. Acalma o meu coração

Anderson Freire

top5
5. Não Pare

Midian Lima

Anunciantes